Notícia

Ex-alunos da Escola iniciam mestrado em Yale

 
Nem Brasil, nem Alemanha. Foi no open house de Yale, nos Estados Unidos, que Miguel Darcy e Leonardo Fuchs, ex-alunos da Escola Alemã Corcovado, se conheceram. Formados em Arquitetura e Urbanismo pela PUC-Rio e UFRJ respectivamente, os jovens começaram, no mês de agosto, o Master of Architecture II na universidade americana. 
 
Primeiros brasileiros na turma de Mestrado de Arquitetura em Yale, Miguel e Leonardo também foram aprovados em outras universidades, como Harvard, Columbia, Princeton e Cornell. Para isso, além de portfólios recheados com projetos de destaque, a fluência na língua inglesa foi essencial. Os ex-alunos fizeram o exame de Cambridge na Escola Alemã Corcovado e contaram que nunca precisaram fazer curso de inglês para complementar o conhecimento no idioma. Apesar das semelhanças e coincidências, a trajetória dos dois foi um pouco diferente depois do ensino médio.
 
Formado na Escola Alemã Corcovado em 2010, Leonardo ingressou na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ (FAU). Para complementar a graduação, o estudante fez um intercâmbio de três semestres em Munique, na Alemanha, o que considera fundamental. “A experiência em outro continente agrega mais. É importante ver outras culturas, trazer informação. As fronteiras estão cada vez mais difusas”, afirmou. Leonardo também destacou a importância de sua formação, desde a Escola, para entrar em uma universidade de excelência como Yale. “A Corcovado é muito diferente das outras, proporciona que o aluno seja um cidadão do mundo e saia do casulo. Possibilita uma independência”, disse.
 
Miguel se formou na Escola em 2009. Depois, cursou Arquitetura e Urbanismo na PUC-Rio e, durante o curso, fez um estágio de um ano em um escritório de Arquitetura em Nova York, nos Estados Unidos. Para ele, a metodologia de ensino da Escola Alemã Corcovado se equipara às grandes universidades mundiais. “O que a Escola mais oferece é o estímulo de participação do aluno e que ele não se contente só com o que é apresentado em aula. As universidades de fora têm a mesma dinâmica de participação e colaboração dos alunos”, disse. Miguel também contou que adorava a combinação das disciplinas durante as aulas. “Essa interdisciplinaridade da Corcovado é um grande diferencial. A inserção que a arte tinha em outras matérias era muito legal”.
 
“O aluno pode contar com a estrutura da escola para alavancar seus projetos”, afirmou Miguel. Para os dois estudantes, as atividades realizadas durante esse período também são importantes para a construção de um currículo e portfólio atrativos: “As universidades de excelência vão ver a iniciativa do aluno além da sala de aula, o que o candidato faz nas horas vagas que sejam fora da caixa. Acho que ter feito trabalhos voluntários também me ajudou. Fazer o melhor é uma escolha a se tomar diariamente”, acrescentou Leonardo.
 
Antes do início das aulas no mestrado, Miguel e Leonardo também se encontraram na Bienal de Veneza. Os dois participaram da construção dos mapas no Pavilhão do Brasil. Confira: https://www.archdaily.com.br/br/897923/pavilhao-do-brasil-na-bienal-de-veneza-2018-muros-de-ar-cartografias